Hoje é terça-feira, 22 de maio de 2018

Publicidade

UMA VISÃO DIFERENTE – Artigo de Marcelo Buz

13 de maio, 2018 às 21:30 - por Marcelo Buz

São corriqueiras as sessões da Câmara de Vereadores em que tenho o posicionamento muito diferente dos demais vereadores. Por vezes, poucos destes compartilham do mesmo pensamento, e na maioria das vezes estou isolado fazendo o trabalho do contraponto e colocando de forma clara, firme e incisiva aquilo que acredito ser o melhor para o nosso município.

Não se trata de ser oposição simplesmente por ser, ou por questão ideológica de não concordar com o socialismo no qual os governos Petistas acreditam. Mas sim, de analisar cada expediente, cada projeto de lei com cuidado, analisando o teor, o formato, as vírgulas de cada texto e pensando no impacto que eles terão na nossa sociedade.

Há vereador que fica bravo por que isto fomenta os debates e faz as sessões se estenderem. A este eu digo: se não quiser trabalhar, pode deixar sua cadeira para seu suplente, é o seu direito. Mas se não quiser abandonar seu mandato, é melhor já ir se habituando que neste Parlamento temos gente interessada em trabalhar e honrar os leopoldenses.

Tem vereador que balança a cabeça sem entender por que debato tanto, batalho e discordo tanto, uma vez que seria tão mais fácil apenas apertar a favor ou contra. A este eu digo: ser vereador e pensar no que está fazendo e não ficar a vida inteira se elegendo com trabalho assistencialista. Aliás, quem se elege com assistencialismo prefere que os problemas da cidade não sejam resolvidos; caso contrário, perde suas ferramentas políticas. Tem vereador que acha que eu vivo me excedendo. A este eu digo: não fui eleito para fazer amizades ou ser compassivo com todos. Paciência.

Se meus pontos de vistas frequentemente não são populares, lembremos que foi sempre sorrindo para tudo e para todos que hoje São Leopoldo está falida. O que acredito é que ser vereador não é viver com sorriso no rosto e braços abertos com a foto da cidade ao fundo. Ser vereador é implementar a força de um mandato para impedir que um governo, cuja maioria na Câmara é consolidada por meio de trocas de CCs e Secretarias, faça absurdos e implemente projetos ruins que mais atrapalhem do que resolvam.

Ser vereador é saber que temos que ser firmes, que a cidade possui uma dívida enorme e precisamos priorizar os serviços básicos. Reforço minha postura até o último dia deste mandato, e ao longo de toda minha carreira política. À população, e não ao ambiente político, eu entrego o julgamento: estou certo ou errado?

Marcelo Buz é Vereador e líder do DEM na Câmara Municipal de São Leopoldo

Publicidade

quero-quero-banner-1024x97

2016 - Todos os direitos Reservados