Hoje é sábado, 16 de dezembro de 2017

Publicidade

Uma República Inacabada – Artigo de Ibanes Mariano

16 de novembro, 2017 às 08:14 - por Ibanes Mariano

Comunicar uma frase, ou um termo repetidamente faz com que ele seja fixado. Os manipuladores repetem o mesmo mantra até que ele seja fixado na cabeça das pessoas. Em tempos midiáticos com estudadas técnicas para fazer chegar uma mensagem espalham os mais diversos absurdos mantendo uma lógica de bestialização das pessoas, parafraseando o historiador José Murilo de Carvalho. O último exemplo que tivemos foi com o impedimento da Presidente Dilma. Nenhum dos pressupostos daquele ato infame se confirmaram, mesmo assim a ideia de que o PT é o grande vilão da política brasileira continua presente e parece que já adormecida nas mentes de muitos brasileiros e brasileiras, mesmo após Aécio, Temer, Serra, Alckmin, Cunha e alguns amigos empresários que compraram deputados e presidente de dia claro, as vezes na calada da noite.

Nestes 128 anos de República, proclamada sem povo, as mensagens de Justiça Social, de integração dos negros na sociedade, de afirmação dos direitos das mulheres e de fortalecimento do mercado interno através do aumento da renda de extinção da fome e da miséria neste Brasil tão rico em tudo parecem que nunca pegam. Já foram tratadas por demodê, são todos os dias deste mais de século bloqueadas, primeiro por fazendeiros, depois dos industriais e agora pelo “mercado”. Uma pequena elite que fez uso da violência como como parte de seu método de ação impôs a Getúlio Vargas – o primeiro espasmo em que se tentou trazer parte do povo (a nascente classe operária) à cidadania e aos direitos; esta elite mercadora das nossas riquezas que não aceita um Brasil soberano e inserido no mundo com seu real tamanho fez uso das forças armadas sempre que perdeu o controle da política; que tem na democracia um meio de descanso de seus excessos de poder, mas nunca um fim e que não permite que nossa República se torne coisa de brasileiros.

Por sinal, este modelo caminha para sua versão mais perversa novamente, pois acentua uma agenda entreguista, de retirada de direitos (voltamos a fase pré-getulista) e de exclusão. Aplicado este projeto na integralidade talvez sejamos pouco mais que mais um estado dos EUA, submisso aos seus interesses e “dando” nossas riquezas para sua ganância. Quem sabe nos tornemos uma nação de alguns poucos bilionários, com outros poucos milionários e milhares de pobres e miseráveis vivendo sob o manto do crime organizado. José Mujica já vaticinou: enquanto não derrotarmos a elite paulista a América não conseguirá caminhar para a igualdade social e econômica. Quem sabe aí não esta o caminho….
Nossa mensagem precisa ser mantida e voltar a ser levada para o povo, pois os avanços sociais e de soberania obtidos nos governos Lula e Dilma viraram pó em menos de um ano. Não devemos desistir, somos aqueles (campo democrático e popular) que podemos concluir o projeto republicano e termos um República feita de povo.

Ibanes Mariano

Ibanes Mariano é Historiador e Chefe de Gabinete do Prefeito de São Leopoldo

Publicidade

2016 - Todos os direitos Reservados