Hoje é sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Publicidade

Uma década controversa

21 de dezembro, 2016 às 08:33 - por Everton Cury

Crédito: Internacional

Do céu ao inferno em 10 anos. Exatamente isto foi o que ocorreu com a nação colorada. Os mesmos dirigentes que conduziram o Internacional à sua maior glória, o título mundial em dezembro de 2006, foram os responsáveis pelo maior vexame da história do clube. Com já escrevi anteriormente, o que Carvalho e Píffero levaram uma vida para construir no que tange à uma imagem vitoriosa, destruíram integralmente neste fatídico 2016. Soberba, arrogância e incapacidade misturaram-se de tal forma que resultaram num coquetel da morte para os anseios vermelhos neste ano que nenhum torcedor deseja rememorar. No entanto, amigos, cabe dizer que assim é a vida de todos nós. Passamos por momentos de muita alegria e também de muita tristeza.  O futebol não difere da vida e a verdade é que assim como nos sentimos engrandecidos e recompensados com as vitórias, também não devemos nos prostrar diante das derrotas. Derrota só carrega este sentido se nada aprendermos com ela, caso contrário o nome disso chama-se lição.

Nossas vidas e nossa história são escritas dia a dia por bons e maus momentos e todos eles escrevem os capítulos de nossa trajetória. Que saibamos aproveitá-los, todos, como ensinamentos e que saibamos que tudo isto vale a pena. Amanhã e no ano que se aproxima novos desafios escreverão novos  capítulos da vida de cada um de nós. Não nos aflijamos, aprendamos no sentido de que, a cada dia, possamos construir algo de melhor. O futebol? Bem o futebol faz parte mas deve ser motivo para descontração e alegria, mesmo com reveses.

 

A MISSÃO DE MARCELO MEDEIROS

Eleito com avassaladora maioria nas eleições coloradas (94% dos votos), o filho do memorável ex-presidente Gilberto Medeiros, herda da gestão Píffero a primeira disputa de Série B do Sport Clube Internacional em 108 anos. Se por um lado, cabe à Marcelo Medeiros recolocar o clube  no seu devido lugar, por outro, ele está diante de um  momento ímpar para tomar atitudes fortes no sentido de preparar o Colorado para a busca de resultados importantes em 2017. Senão vejamos: Uma largada forte na Série B, dá a tranquilidade ao Inter de focar-se na Copa do Brasil e, porque não, conquistar este título que só alcançou em 1992. Uma conquista como esta, guinda o Inter diretamente  a Libertadores da América em 2018. Utopia? Em hipótese alguma. Um time bem montado, treinado, focado e bem dirigido, apoiado por uma torcida magnífica como a colorada, tem tudo para transformar o limão de 2017, numa gostosa limonada. Ainda, ser heptacampeão gaúcho pela segunda vez na sua história, seria uma largada fantástica. Tenham os colorados a certeza disto.

 

D’ALE  NÃO SERÁ A SALVAÇÃO

Quando D’Alessandro foi emprestado ao River Plate neste ano, é bem verdade, que muitos colorados gratos a tudo que este ícone vermelho fez, lamentaram sua saída temporária para  a Argentina. Também não é menos verdade dizer que muita gente já via no glorioso capitão da equipe indícios de que não possuía a mesma vitalidade de outrora. No clube portenho, D’ale não foi o mesmo, como se previa. Alternou bons e maus momentos e, jogou bem menos do que vinha jogando em função de, pelo menos, três lesões. Fará 36 anos em 2017, certamente suas forças serão  ainda menores, mesmo que não se discuta sua qualidade com a bola no pé. Assim é que, os colorados podem esperar de seu ídolo a grande liderança que sempre mostrou, ainda: numa série B, deve sobrar, mas certamente não jogará muitas partidas. Será contribuição importante? Não tenham a menor dúvida. Salvador da pátria? Nem pensem nisto.

 

RENATO INDISCUTÍVEL

Não há como se discutir a permanência de Renato no Grêmio.  O grande ídolo tricolor deu ao seu clube o maior título de sua história e também, após 15 anos que pareciam intermináveis, reconduziu o time ao lugar mais alto do pódio. Vencedor da Copa do Brasil e com a libertadores garantida, amado pela torcida respeitado pela direção e líder indiscutível junto ao grupo de jogadores, Portaluppi é o nome que reúne todas as credenciais possíveis e imagináveis para conduzir o Rei de Copas no próximo ano. Se terá o mesmo sucesso de 2016 ou algo ainda mais, só o futuro dirá. Na modesta opinião deste que vos escreve, o Grêmio retomou o seu caminho.

 

PAZ, AMOR E FRATERNIDADE

Que todos que nos prezam com a leitura deste espaço possam ter um Natal repleto de amor, paz e fraternidade. Que possamos olhar para dentro de nós nesta data que celebra o nascimento do Salvador e reflitamos o que cada um pode fazer para ajudar a salvar a humanidade que tanto necessita de mais compreensão e gestos de cidadania. Que Deus esteja conosco. Feliz Natal

Autor

Everton Cury

Publicidade

2016 - Todos os direitos Reservados