Hoje é quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Publicidade

RADAR DO QUERO-QUERO – O momento é de reflexão – Artigo de Bado Jacoby

07 de fevereiro, 2018 às 22:30 - por Bado Jacoby

Os últimos dias do ambiente político de São Leopoldo, tem sido a maior a prova que o radicalismo chegou no termômetro máximo da civilidade e em algum momento, os “bombeiros” vão ter que se fazer presente.

Nunca, mas nunca mesmo tivemos tantas demonstrações de intolerâncias e ódios em nossas  relações políticas e isto, é um retrocesso muito triste e perigoso. Estes radicalismos, estão sendo transferidos para os ambientes sociais e mostra que algo muito urgente precisa ser revisto, sob pena, de ruir o precário mas ainda administrável contrato social brasileiro.

São Leopoldo, com certeza é uma meca destes radicalismos que tiveram seu adubo maior, na trágica participação dos senhores da excelência em gestão na vida política e administrativa da Prefeitura de São Leopoldo. Quando se imaginava, que este legado de ódios e intolerâncias tinham sido extintos, exterminados, mortos e sepultados, se vê que seus tentáculos e representantes estão ainda muito ativos e se arregimentando de maneira muito explicita.

Neste contexto de intolerâncias e radicalismos, infelizmente, nada mais é respeitado e questões pessoais são levadas para as redes sociais e sem a minima responsabilidade e respeito e se denigre de maneira perversa, todos os que não estão alinhados. Ou seja, a confraria do ralo se consolida e pode ser facilmente identificada.

Muitos dos que hoje estão germinando estes ódios e criando uma muralha nas relações sociais e políticas, tem longo histórico político e até familiar de fatos pelo menos considerados nebulosos e que até hoje fazem a cidadania Leopoldense arcar com vários “erros” em atos na gestão pública.

Este discurso de ódios e intolerâncias, precisa ter um basta e seus operadores, são plenamente identificáveis. São Leopoldo, sempre teve um antagonismo político bastante forte, e durante quase 30 anos, os Ex Prefeitos Olímpio  Albrecht e Waldir Schmidt mesmo sendo contrários políticos fortes, sempre mantiveram a civilidade política que de maneira inteligente, era transferida para o ambiente social.

Hoje São Leopoldo é um hospício político e qualquer sem noção se coloca como salvador da pátria e ungido pelas “pessoas de bem”, se acha no direito de difamar das maneiras mais rasas, qualquer movimento que não esteja de acordo com suas convicções políticas e sociais.  Se perderam todos os respeitos e a chinelagem se tornou, o modus operantes de muitos que poderiam se tornar o fato novo e diferente neste triste momento em que vivemos e convivemos.

Nada vai ser construído com tantos radicalismos e ao contrário, todos os ódios e preconceitos que estavam relativamente “adormecidos” nos armários da velha sociedade brasileira, estão aflorando de maneira intensa e encontrando campo fértil e destruidor neste triste momento de nossa sociedade.

Que se encontrem pacificadores para este complicado momento e que estes, tenham a inspiração e competência para diminuir este lesa pátria momento de tantos rancores e narcisismos sociais e políticos.

Falei, e assino embaixo.

Autor

Bado Jacoby

bado@visaodovale.com.br

Publicidade

2016 - Todos os direitos Reservados