Hoje é terça-feira, 22 de maio de 2018

Publicidade

Por que o PT insiste em Lula? – Artigo de Guilherme Louzada

13 de maio, 2018 às 21:42 - por Guilherme Louzada

 Nos últimos dias o debate político nacional tem sido direcionado no sentido de pressionar o PT para que apresente um “plano B” para disputar as eleições de outubro. O argumento usado pela direita e pela grande mídia comercial brasileira afirma que a candidatura de Lula não teria as condições jurídicas e políticas para se efetivar, afinal, Lula está preso e estaria também inelegível.

Mesmo com o esforço permanente da mídia de construir e sustentar uma versão que incrimine o ex-presidente, pesquisas recentes apontam que a maioria da população brasileira (55%) acredita que “a Lava Jato faz perseguição contra Lula” e que a prisão imposta injustamente tem como finalidade “tirar Lula da eleição” (73%).

O processo contra Lula escancara a histórica seletividade do judiciário nacional. Em apenas 18 meses Lula foi denunciado, investigado, condenando em duas instâncias e preso, tudo isto sem uma simples prova que fosse capaz de demonstrar que ele tenha recebido propina, ou que fosse proprietário do apartamento onde não dormiu uma noite sequer.

Por outro lado, o mesmo poder judiciário arrasta desde 1998 (20 anos) um processo de corrupção contra Eduardo Azeredo, ex-presidente do PSDB e ex-governador de MG já condenado em segunda instância e que segue em liberdade. Geraldo Alckimin após sair do governo de SP em abril deste ano para concorrer à presidência, perde o “foro privilegiado”, mas ganha de presente da justiça o envio do seu processo ao TRE por ter recebido R$ 10 milhões da Odebrecht, nesse caso o judiciário entendeu que se tratava de “caixa dois e não necessariamente de propina”. Sem falar de Aécio e Temer que, mesmo com gravações, depoimentos, malas de dinheiro que geram um aparato imenso de provas, são protegidos pela justiça, se mantém em seus mandatos e possuem seus direitos políticos assegurados para disputar as eleições deste ano.

Mesmo privado injustamente de sua liberdade, Lula é líder em todas as pesquisas eleitorais, possui um alto poder de transferência de voto e o PT é o partido de maior preferência do eleitorado brasileiro (21%).

A prisão de Lula por si só não impede sua candidatura, nem tampouco o direito do PT de requer o registro. No aspecto jurídico, mesmo que o judiciário esteja comprometido até as entranhas com o golpe contra Dilma em 2016 e com a perseguição à Lula, é vital lembrar que o Art. 26C da lei da ficha limpa prevê a suspensão da inegibilidade decorrente de sentença por órgão colegiado sempre que houver “plausabilidade da pretensão recursal”, além disso, o tempo de análise e julgamento de todos os recursos eleitorais para registrar a candidatura é imprevisível e pode ocorrer após o resultado do 1º turno.

 Então, se Lula comprovadamente detém um extraordinário capital político e do ponto de vista jurídico o jogo ainda não está jogado, por que o PT deveria abandonar Lula e apresentar um “plano B”? O objetivo é simples. Estabelecer um “cenário de normalidade”, tanto para a prisão de Lula quanto para a eleição de 2018.

Nesta quadra da história, apresentar qualquer outro candidato que não seja Lula significa “virar a página” do golpe, ignorar o estado de exceção imposto e desconsiderar que Lula é um preso político, seria aceitar a falsa “normalidade” que os inimigos do povo brasileiro querem estabelecer.

E pra quem acusa o PT por falta de visão estratégica e ainda não percebeu que a unidade da esquerda e do campo progressista passa por um posicionamento forte e contundente de Lula e do PT, necessita refinar a leitura. A direita já se deu conta do acerto do PT, por isso pressiona para que Lula seja abandonado. Guilherme Boulos e Manuela D’Ávila seguem afirmando em suas pré-campanhas que querem Lula livre e que respeitam a candidatura do ex-presidente, além disso, o PT segue debatendo com todos os partidos de centro esquerda pautas em comum, sobretudo a unidade no combate ao fascismo.

O povo quer votar em Lula, reconhece nela a referência política capaz de devolver o Brasil ao povo trabalhador, através de uma Constituinte para revogar as medidas golpistas e encaminhar as pautas populares como o próprio afirmou em seu discurso histórico em 7 de abril em São Bernardo do Campo. O PT vai seguir sem vacilo e sem descanso por este caminho. É Lula livre e Lula presidente!

Guilherme Louzada é presidente do PT de São Leopoldo

Publicidade

quero-quero-banner-1024x97

2016 - Todos os direitos Reservados