Hoje é sábado, 16 de dezembro de 2017

Publicidade

O que se espera de um Prefeito, na verdade? – Artigo de Filipe Merker Brito

11 de outubro, 2017 às 17:31 - por Filipe Merker Brito

Contemporaneamente, em postagens realizadas em redes sociais, os Prefeitos querem incutir na população o sentimento de que realizam uma boa gestão (casualmente melhor do que a do mandatário anterior) porque (supostamente) narram a verdade nua e crua da realidade terrível das contas públicas, e o seu enfrentamento com requintes de bravura.

Trata-se de propaganda, pura e simples. Nada mais do que isto. Não raro, tais publicações (que nem de perto visam dar eficácia ao princípio da transparência), são compartilhadas por um sem número de seguidores (normalmente os mesmos de sempre, e com interesse na preservação da imagem do político em questão), causando uma impressão de que tudo está a mil maravilhas.

Quanta ilusão! Não tenho procuração outorgada por nenhum outro cidadão, então revelo as minhas expectativas sobre o que eu espero (realmente) de um Prefeito. Pois bem.

Não quero que um Prefeito seja adorado, idolatrado e endeusado por uma horda de asseclas bestializados. Quero apenas um que seja respeitado por suas ações, que se esforce para ser honesto sempre e não somente aparente ser. Quero um Prefeito que saiba ouvir, observar e ponderar os argumentos de seus consultores, antes de tomar qualquer decisão, e que principalmente, reconheça quando está errado.

Um Prefeito que, apesar da crise financeira, empreenda e busque soluções criativas para a cidade, inclusive com parcerias empresariais e todos aqueles que podem e tem capacidade financeira de investimento, sem preconceitos.

Quero um Prefeito que dê efetiva prioridade à educação, valorizando por demais a figura do professor, dando condições de trabalho, e não somente seu salário.

Quero um Prefeito que tenha a coragem de inadimplir obrigações com contratos milionários, quando necessário para pagar o salário dos servidores em dia, e que não tenha medo de cortar benefícios ultrajantes dos mais afortunados.

Quero um Prefeito que deixe de aparelhar a Administração Pública, indicando somente pessoas honestas e competentes nos cargos públicos que dependem de sua nomeação, interrompendo o clientelismo.

Quero também um Prefeito que tenha relação amistosa com o Poder Legislativo, mas que não tenha que pagar favores em troca de aprovação de projetos. E que tenha relação igualmente amistosa com o Ministério Público e o Poder Judiciário, permanecendo ficha limpa antes, durante e posteriormente ao seu mandato.

Finalmente, espero que um Prefeito tenha as qualidades necessárias para uma vida política saudável e ética, com transparência e separação completa entre os recursos públicos e os interesses da família, dos amigos, de empresas e do partido.

Como se vê, todos os requisitos que aponto não são extravagantes; muito pelo contrário, deviam ser obrigatórios para todo aquele que pretende ser Prefeito. Infelizmente, até o presente momento, não tive minhas expectativas atendidas.

Aliás, não somente eu, como a maioria da população (não há Prefeito eleito com mais de 50% dos votos, por exemplo, o que poderia ser resolvido com segundo turno obrigatório em todas as cidades). O combate a prática danosa de elegermos políticos comuns e que visam a satisfação de interesses pessoais antes do público somente pode se dar pelo progresso da nossa sociedade, com uma melhor educação e um esclarecimento de todos. E você leitor, o que espera de um Prefeito? Pense bem na próxima vez que for votar.

Filipe Merker Britto é advogado.

Publicidade

2016 - Todos os direitos Reservados