Hoje é terça-feira, 26 de setembro de 2017

Publicidade

O ESTRANHO MOMENTO DO PDT LEOPOLDENSE ONDE QUEM GANHOU ESTÁ OLHANDO E QUEM PERDEU AINDA CONTROLA

10 de julho, 2017 às 17:40 - por Bado Jacoby

O atual momento político de São Leopoldo tem vivenciado uma das mais estranhas situações já vista em um contexto partidário e interpartidário, no caso, o PDT.

O PDT Leopoldense saiu das eleições municipais de 2016 como o partido mais forte e robusto na aceitação popular. Conseguiu eleger três Vereadores(as) e quase chegou ao executivo municipal com Nado Teixeira, seu candidato a Prefeito que ficou em segundo lugar.

A eleição dos Vereadores(as) Ary Moura e Iara Cardoso levou parte do partido para um entendimento com a administração municipal e isto, causou uma grande disputa pelo controle do partido onde de um lado ficaram Ary Moura, Iara Cardoso e os dois primeiros suplentes Juliano Maciel e Rafael Souza que apoiam a entrada do partido no governo Vanazzi e do outro lado, Nado Teixeira com seu patrimônio de votos da última eleição e Fabiano Haubert, Vereador eleito e Presidente da sigla em São Leopoldo.

O processo de disputa foi praticamente pautado pela entrada ou não no governo municipal e em uma convenção que movimento quase dois mil filiados, o PDT Leopoldense deu mostras de sua atual grandeza e importância no contexto político da cidade.

Foi vencedora na convenção municipal a ideia de participação na administração Vanazzi e nada mais natural do que esperar que em seguida após a vitória e posse da nova executiva comandada por Ary Moura, o PDT assumisse seu papel de aliado e protagonista no governo municipal.

Para surpresa do mundo político Leopoldense, o alinhamento de fato e de direito ainda não aconteceu e por incrível que pareça, o “derrotado” principal na convenção Nado Teixeira, continua pautando os destinos do partido.

Nado Teixeira trabalha com muita sabedoria a possibilidade de um impedimento do Prefeito Vanazzi que vai ter em prazo não muito longo um julgamento no TSE que pode ocasionar nova eleição em São Leopoldo. Esta possibilidade é bem trabalhada por Nado que inflama alguns setores do PDT e até tradicionais adversários do PT Leopoldense que tem nas viúvas do governo Moa seus maiores aliados.

Na verdade, o atual contexto dos trabalhistas Leopoldenses indica uma indefinição inesperada e esta indefinição tem causado ruídos entre o grupo vencedor da convenção e o governo Vanazzi. E ao mesmo tempo, tem permitido que Nado Teixeira sem muito esforço, consiga mesmo fora do comando do partido, ainda ser a maior referência e ter o protagonismo que teoricamente, deveria ser de Ary Moura, Iara Cardoso e seus aliados.

Diante deste quadro, quem agradece alem de Nado Teixeira, são outros políticos que estão aproveitando por esta indefinição e paralisia do PDT, crescer na oposição ao governo Vanazzi.

Quem conhece um pouco do xadrez político  da cidade, sabe que este “freio de mão puxado” do atual comando do PDT, pode transformar a importante vitória da convenção, em apenas fotos e comemorações.

E segue a vida no Reino de Castela e suas inesperadas e perigosas indefinições…….

Autor

Bado Jacoby

bado@visaodovale.com.br

Publicidade

2016 - Todos os direitos Reservados