Hoje é sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Publicidade

Foco

28 de dezembro, 2016 às 10:46 - por Everton Cury

Após o fracasso colorado e a redenção tricolor em 2016, onde estará o foco da dupla Grenal em 2017? A projeção parece ser óbvia, o Grêmio respira e transpira pensando apenas em Libertadores da América. Pelo menos é o que se pode depreender das declarações que partem da Arena. No entanto, sempre é bom lembrar que o desprezo ao Campeonato regional pode render , pela segunda vez na história, o hepta campeonato para o Inter. Pelos lados do Beira Rio, seria uma excelente medida preparar uma equipe forte e competitiva que pode ser melhor azeitada no Gauchão e nas primeiras rodadas da Copa do Brasil com a finalidade de entrar na série B  com muita disposição, dando ao grupo confiança para retornar com facilidade à divisão principal do futebol brasileiro e direcionar seus esforços para a conquista da Copa do Brasil o que garantiria ao Internacional o retorno triunfal a série A com vaga garantida na edição de 2018 da Taça Libertadores. O planejamento, no meu modesto entender , passa por eleger estas prioridades. Esperemos para ver o que o tempo nos dirá.

 

TIME DE SÉRIE A, SERÁ?

Se fala muito no dever do Inter constituir um time forte, de série A, para a disputa dos campeonatos do ano que se aproxima. No entanto, pelo que se especula, os reforços pretendidos pelo colorado, exceto Taison (quase uma utopia), virão de equipes que disputaram ou disputam a série B. Quando se houve falar em Klaus e  Roberson do  Juventude  e o volante Juninho do Bahia, a coisa não parece muito animadora. Na verdade, o torcedor colorado que deseja esquecer 2016, não tem muitos motivos para sentir-se animado com o que está sendo rascunhado para 2017. A certeza apenas é de que a fotografia do grupo mudará radicalmente.

 

POUCO DINHEIRO

As movimentações no mercado da bola, neste final de ano, caracterizam claramente a crise financeira que não só atinge o Brasil como um todo mas, e não poderia ser diferente, os clubes de futebol também. Com exceção do Palmeiras que tem um banco a ampará-lo, mas mesmo ele, as negociações estão sendo feitas com muito cuidado e parcimônia. Claramente, o dinheiro desapareceu. Imaginem, meus caros leitores, no futebol que sempre foi pessimamente administrado os reflexos desta crise? É coisa série e que deve ser enfrentada com muita cautela, critério e determinação. Não havendo mudança de hábitos de gestão nos grandes clubes brasileiros, muita gente poderá se surpreender com problemas de solução improvável. Ao que tudo indica, o próximo ano não será de retomada. Muita coisa ainda terá que ser ajustada nesta caótica nação para que no horizonte volte a brilhar uma tênue luz de esperança. Infelizmente

 

GAUCHÃO QUENTE

Certamente teremos um  Gauchão 2017 de muita disputa, principalmente entre as equipes do interior do estado. Com apenas 12 equipes participando e duas caindo, a briga será ferrenha. A dupla Grenal, a não ser que uma catástrofe atinja o estado, não corre nenhum risco de cair. Assim teremos 10 clubes pensando, primeiramente em fugir. Teoricamente, Brasil de Pelotas, Juventude e Ipiranga, representantes gaúchos nas séries B e C do Brasileiro, devem levar alguma vantagem sobre os outros. Cabe lembrar que o time pelotense perdeu 14 atletas do seu grupo principal e que a equipe de Erechim também passa por reestruturação. O Juventude é que, aparentemente, parece mais ajustado. Temos VEC, Passo Fundo e Cruzeiro que pouco ou nada gastam após as edições do Gauchão, portanto, devem ter dinheiro em caixa para buscar  as contratações que entendam necessárias. Já Caxias, S. José (este sempre apoiado por empresários), Novo Hamburgo e S. Paulo-RG que jogam o ano todo, literalmente, terão que “se virar nos 30’”. Peleia feia para quem não atingir os 11 pontos e alegria de classificação para quem chegar aos 16.

 

QUE 2017 POSSA SER MELHOR

Neste ano em que nos alegramos imensamente  com o nascimento do Grupo Visão do Vale que vem com o objetivo colocar novas luzes sobre todos os assuntos pertinentes a nossa região, projeto do qual, com muito orgulho, modestamente  colaboramos , nos cabe projetar um 2017 melhor. Que este país possa passar por um choque de uma nova realidade que não dê tréguas à corrupção, à violência e ao mal. Que possamos ser cidadãos dignos, preocupados com nossos semelhantes e envolvidos com nossas comunidades. Que Deus possa abençoar à todos nós com saúde, trabalho, paz, harmonia e fraternidade. Façamos a nossa parte, porque só assim  estaremos dizendo sim a esta benção que é a vida que recebemos. Até 2017 com a graça do Nosso Senhor.

Autor

Everton Cury

Publicidade

2016 - Todos os direitos Reservados