Eliseu Padilha que é o principal articulador e  mais próximo Ministro de Michel Temer, falou em entrevista para a rádio Gaúcha, que a candidatura do Presidente Michel Temer para Presidente em 2018, não está descartada.

Padilha considera que  à aprovação da intervenção federal no Rio de Janeiro e  suspensão da tramitação da reforma da Previdência, podem “alavancar” a candidatura do presidente Michel Temer  à reeleição. Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, na manhã desta terça-feira (20), o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha(PMDB-RS), disse que até junho Temer deve anunciar qual será seu candidato.

O candidato dele será conhecido no início de maio, final de junho. Eu não excluo a hipótese de que o candidato dele seja ele mesmo, mas ele não tem admitido essa possibilidade. Temos muitos pontos para ser defendidos: a reforma trabalhista, reforma do Ensino Médio, menor inflação em muitos anos. Ao meu juízo, ninguém traduz melhor isso que o presidente — disse.

Padilha também disse que o governo não desistiu da reforma da Previdência. Para o ministro, o governo não conseguiu os votos necessários por causa de “mentiras” propagadas pela oposição.

A reforma da Previdência é pauta até o último dia de mandato do presidente Michel Temer. Tenho que admitir que na guerra da comunicação nós saímos atrás. Foram lançadas muitas mentiras, que acabaram contagiando não tanto a base, mas sim os parlamentares, que com medo de que a base tivesse acreditado, ficaram com medo de votar — disse.

O peemedebista ainda afirmou que o governo não fez nenhum tipo de relação entre o decreto de intervenção no Rio de Janeiro, que não permite a votação da reforma, e a possível derrota da medida no plenário.

Esta medida está diretamente relacionada ao Rio de Janeiro. Durante o Carnaval,nós tivemos imagens que não deixaram dúvidas que a intervenção era necessária — defendeu.