Hoje é domingo, 19 de novembro de 2017

Publicidade

Artigo de Felipe Nardi

25 de maio, 2017 às 10:52 - por Felipe Nardi

Artigo de Felipe Nardi

Hoje estamos publicando o primeiro artigo do novo espaço para que o ponto e o contraponto de maneira civilizada e inteligente façam desta “tribuna” a boa convivência entre os contrários de ideias.

 

Vereador de verdade
Em tempos de novos modelos de gestores públicos aparecendo, o que mais chama atenção é que estes parecem não ter o “rabo preso”. Isto aparentemente está dando uma dinâmica e velocidade nas ações nunca vista antes nas prefeituras.
Esperamos que isto continue, pois parece que é o único modelo eficiente para termos cargos de confiança qualificados e dedicados, os chamados cargos técnicos.

Não está atendendo a demanda, com licença, tem outras pessoas qualificadas querendo fazer o melhor para a cidade. Atualmente temos mais de 13 milhões de brasileiros desempregados, será que não temos gente qualificada querendo fazer acontecer por sua cidade?
Infelizmente, o que ocorre na prática, é que muitos vereadores têm cargos no executivo (prefeitura).

É algo tão normal que a população aceita com naturalidade e não questiona,
porém se pararmos para analisarmos com pragmatismo, veremos que a necessidade de
segregação de poderes é fortemente abalada com esta prática.
Qualquer sinal de falta de obediência dos vereadores o executivo ameaça tirar os cargos. E assim as cidades vão vivendo com vereadores que não fazem o seu papel de verdade e o jogo de “toma lá, dá cá” com o executivo vai se ajeitando como melancias na carroça e o dinheiro público indo para o ralo por quatro anos.
Frases clássicas: “Precisa ajeitar Fulano, fez campanha para mim.”; “Preciso lugar para o Cicrano, ele é uma liderança do bairro”. Tudo para que estes os ajudem nos quatro anos a manter o nome do vereador em evidência e depois ajudar na próxima eleição. Claro que tem também um percentual do partido do vereador. Tudo ajuda quando o dinheiro é dos pagadores de impostos e não os seus.

Aliás, o legislativo não atrasa salário e não tem preocupação nenhum com austeridade, todo final de ano “sobra” dinheiro para o presidente da câmara se vangloriar.

Por favor! Se tiver um vereador que possa ter o meu respeito é o que não tem cargos no executivo e trabalha com transparência, ética e pensando sempre no melhor para a cidade e não na sua reeleição. Existe algum? Espero que sim. Estes deveriam gritar aos quatro ventos esta prática e exigir dos colegas a mesma postura.

Se ele puder em quatro anos fazer o máximo pela sua cidade, inclusive economizar em cargos, tenho certeza que estará reeleito na eleição da vida ética que o arquiteto do universo proporcionou de forma igual e justa a todos nós.

Felipe Nardi é empresário e professor de pós-graduação

Publicidade

2016 - Todos os direitos Reservados