Hoje é segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Publicidade

Aos desafetos, os rigores da lei mas, para os aliados, as benesses das gavetas. Assim agiam os Senhores da Excelência em Gestão do Reino de Castela

02 de agosto, 2017 às 15:05 - por Bado Jacoby

Logo no começo da administração dos Senhores da Excelência em Gestão, surgiram vários rumores e denúncias de uma verdadeira “derrama”de diplomas escolares falsos que estavam anexados em pastas de muitos colaboradores do novo governo.

Falava a lenda, que no setor de Recursos Humanos do paço municipal, o ar condicionado(quando funcionava) tinha que ficar ligado em temperatura máxima pelo excesso de papeis frios(diplomas) que lá adentraram nos primeiros dias do ano da graça de 2013.

Já naqueles tempos o Radar do Quero-Quero fez um alerta e isto, desencadeou a realização de uma Auditoria Interna Operacional que teve o numero 001/2013 ou seja, a primeira do tipo no governo que então começava e prometia, a revolução nos métodos de gestão pública tradicionais.

A auditoria interna constatou e confirmou que realmente as denúncias tinham procedência e com farta documentação embasou seu relatório que teve como destino, o Gabinete do Prefeito Eleito Dr Anibal Moacir. A auditoria foi iniciada em 22/04/2013 e terminada 04/07/2013.

Como consequência, aconteceram algumas exonerações(nenhuma pelo motivo da investigação) e o explosivo assunto ficou sob guarda do comando maior do Reino e lá no sétimo andar, adormeceu…….

Mesmo diante da gravidade, a solicitação para a instauração de um inquérito policial para investigar o caso, demorou seis meses. e a administração municipal só encaminhou denúncia para a Polícia civil em janeiro de 2014.

Demorou um ano para que a zelosa administração municipal fosse ver como estava o andamento do tal inquérito investigativo já que apenas no final de 2014, foi feito um pedido de informações sobre o andamento do assunto e até hoje, não se sabe o que foi informado.

Mesmo diante de comprovações documentais da auditoria interna, o assunto “morreu” em gavetas e a administração dos senhores da excelência em gestão, findou sem nada fazer para esclarecer o derrame de gélidos diplomas e históricos escolares.

O QUE PRECISA SER ESCLARECIDO, É O SEGUINTE:

1. O pq, não foram abertos os devidos PAD’s contra os servidores e o argumento de que foram exonerados não se sustenta pq deveriam ter sido penalizados administrativamente por isso;

2. Em que pese exista este documento de requerimento de instauração de Inquérito, não há protocolo de recebimento pela autoridade Policial. Posteriormente, indagada sobre os encaminhamentos, a autoridade Policial não se manifestou.

3. O envio a Autoridade Policial não supre a falta de encaminhamento ao MP, pois este poderia ajuizar ação penal contra os envolvidos e instaurar investigação para apurar a atuação dos gestores.
A redação do www.visaodovale.com.br tem toda a documentação sobre a auditoria interna e os mesmos, comprovam que os Servidores envolvidos na Auditoria realizaram um esclarecedor trabalho e as providências que não foram ou deveriam serem tomadas pelos gestores, só não aconteceram, por decisão dos mesmos.
E segue a vida no Reino de Castela e suas intrigantes gavetas geladas………….

Autor

Bado Jacoby

bado@visaodovale.com.br

Publicidade

2016 - Todos os direitos Reservados